Tétano: Sintomas e (PREVENÇÃO)

O tétano é uma doença bacteriana grave que causa sintomas como espasmos musculares e problemas respiratórios por meio de uma toxina que afeta o sistema nervoso.

A infecção acontece através de rupturas na pele, sendo que alguns tipos de feridas são mais propensas a incentivar o crescimento de bactérias do tétano, como fraturas expostas, mordidas de animais, queimaduras ou quaisquer feridas contaminadas com terra, esterco de cavalo ou pedaços de objetos estranhos.

A imunização do tétano está disponível e os efeitos colaterais ou reações alérgicas graves são raras.

 

Os sintomas de tétano

Os sinais e sintomas de tétano pode incluir:

  • espasmos musculares que começam na mandíbula e do pescoço;
  • incapacidade de abrir a boca (trismo);
  • problemas de deglutição;
  • dificuldades respiratórias;
  • dolorosas convulsões (ataques);
  • ritmos cardíacos anormais.

Complicações de tétano

As complicações extremamente graves e potencialmente letais de tétano podem incluir:

  • sufocação;
  • insuficiência respiratória;
  • pneumonia;
  • hipertensão arterial (pressão alta);
  • hipotensão (pressão arterial baixa);
  • ataque cardíaco.

Causas do tétano

A infecção da doença acontece quando bactérias do tétano (Clostridium tetani) que vivem no solo, na poeira e no esterco – principalmente no estrume de cavalo – entram no organismo através de uma ruptura na pele. Os sintomas ocorrem entre três dias e três semanas após a infecção, com um tempo médio de 14 dias. Geralmente, sintomas que aparecem muito rapidamente indicam uma infecção é grave.

O tétano não é transmitido de pessoa para pessoa.

Grupos de alto risco

Qualquer pessoa que não tenha sido imunizada contra o tétano está em risco, em especial:

  • pessoas que trabalham com solo, cavalos, ou em ambientes empoeirados;
  • usuários de drogas injetáveis;
  • turistas que viajam para partes da Ásia, América do Sul ou da África;
  • pessoas com feridas de alto risco, que são mais susceptíveis de serem infectadas com a bactéria do tétano.

Feridas de alto risco

Algumas feridas são mais propensas a incentivar o crescimento de bactérias do tétano. Alguns exemplos dessas feridas são:

  • fraturas expostas (quando o osso quebrado perfura a pele);
  • queimaduras;
  • mordidas de animais;
  • qualquer tipo de ferimento penetrante, como os feitos por um prego enferrujado ou até os espinhos de uma rosa;
  • feridas contaminadas com terra, esterco de cavalo ou objetos estranhos, como fragmentos de madeira.

Diagnóstico do tétano

O diagnóstico geralmente é feito pelo exame físico e pela verificação do histórico médico do paciente, incluindo informações sobre a imunização. É difícil confirmar o diagnóstico através de exames laboratoriais.

O tratamento para o tétano

O tétano é uma doença com risco de morte e, por vezes, o paciente não resiste mesmo com atenção médica imediata. O tratamento para o tétano pode incluir:

  • antitoxina (chamado imunoglobulina antitetânica) para neutralizar qualquer toxina tetânica que está circulando no corpo e ainda não foi anexada ao tecido nervoso;
  • hospitalização;
  • medicamentos anti-convulsivos;
  • antibióticos;
  • suporte de vida (exemplo: o paciente pode ser colocada em um respirador artificial se tiver problemas respiratórios graves);
  • vacinação (ser infectado pelo tétano não causa imunidade para futuras infecções, por isso a vacina é necessária).

A melhor maneira de se reduzir o risco de tétano é através da imunização. Você também deve evitar lesões de pele, por exemplo, com o uso de luvas ao jardinar.

Consulte um médico sempre que tiver uma ferida de alto risco (exemplos acima), pois ele pode aconselhá-lo(a) a tomar uma vacina extra contra o tétano dependendo de quanto tempo se passou desde sua última dose. Se você ainda não teve quaisquer vacinas anteriores contra o tétano, deverá tomar uma dose completa de três injeções. Caso o médico ache que o tipo de ferida que você tem pode estimular o crescimento de bactérias do tétano, você também poderá receber imunoglobulina antitetânica.

A imunização contra o tétano

No Brasil, a vacina do tétano está disponível em grande parte dos municípios de forma gratuita. Para verificar, consulte o site da prefeitura de sua cidade.
Vacinação de adulto

A imunidade contra o tétano diminui com o tempo e pode ser necessário realizar novas doses de reforço. Uma dose completa de vacina contendo o tétano é recomendado para quem nunca foi vacinado, funcionando com três doses iniciais dadas em intervalos mensais e mais uma ou duas doses de reforço dadas a cada 10 anos.

A primeira vacina pode ser administrada como uma combinação tripla contra tétano, difteria e tosse convulsa (coqueluche), enquanto as doses seguintes devem ser administradas como uma combinação dupla contra tétano e difteria.

Consulte o seu médico ou o serviço de imunização da prefeitura local para obter mais informações.

Gravidez e a imunização do tétano

Vacinas combinadas contendo imunização de difteria, tétano e coqueluche são recomendadas durante o terceiro trimestre da gravidez, antes da gravidez ou logo após o nascimento do bebê. Mulheres que estão amamentando podem receber essa vacina combinada. Fale com o seu médico para obter mais informações.

Onde obter ajuda

  • O seu médico
  • SUS (Sistema Único de Saúde)
  • Disque Saúde (160)
  • Hospitais particulares

Coisas para lembrar

O tétano é uma doença bacteriana grave que causa espasmos musculares e problemas respiratórios.

Se você tiver uma ferida de alto risco e não foi imunizado nos últimos 10 anos (cinco anos para as mulheres grávidas), você deve visitar o seu médico assim que possível.

A melhor prevenção contra o tétano é a imunização.

>> VIDEO

2 Comentários

Deixe um Comentário