Idosos Felizes (11 DICAS)

Nunca tivemos em nossa história tantas pessoas idosas vivendo no Brasil. Não estamos acostumados a viver tanto tempo.

Esperamos parar de trabalhar e viver de uma aposentadoria que deve durar o dobro do tempo que costumava, e como o filósofo Francis Bacon disse: “A velhice é sempre 15 anos mais velha do que eu”.

Leias estas nossas 11 dicas para viver na terceira idade ou “melhor idade” com mais alegria e satisfação.

Os especialistas dizem que temos que assumir a responsabilidade por nossa própria velhice e muitos desses pontos são simplesmente dicas de bom senso.

Se pensarmos sobre essas coisas e iniciá-las desde cedo, a nossa vida mais tarde será mais saudável e mais feliz.

1 – Veja a aposentadoria positivamente

Muitas pessoas ignoram os efeitos da interrupção do trabalho: a falta de renda, interação e senso de propósito.

Em vez disso, use a aposentadoria como um tempo para fazer algo novo, como ir para a universidade, viajar, fazer trabalhos de caridade ou uma coisa que você nunca foi capaz de fazer antes.

A maioria de nós pode viver até pelo menos 80, por isso há 15 anos para preencher com algo novo.

Em alguns países 82% das pessoas mais velhas dizem que se sentem felizes ou contentes quase todos os dias.

2 – Mantenha seus amigos e faça novos

Estudos têm demonstrado que estar só aumenta as chances de desenvolver depressão e doenças graves.

Nos últimos 15 anos, o número de pessoas com 55 e 64 anos de idade que vivem sozinhas aumentou em 50% e cerca de um milhão de pessoas mais velhas pode ficar um mês inteiro sem ver ninguém.

Com as famílias menos propensas a viver juntas e um aumento no divórcio, o aposentado pode ser deixado sozinho se ficar doente.

Mantenha contato com amigos e parentes, junte clubes ou grupos, conheça vizinhos e construa amizades.

3 – Mantenha-se atualizado

Ouça música de adolescente pelo menos uma vez.

Você não tem que ouvir de novo se não gostar. Mas isso o manterá envolvido e você nunca está velho demais para tentar algo novo.

E não é apenas música – ao ficar online você tem acesso a preços mais baratos para comida, telefone e energia, além de meios de comunicação sociais como o Facebook e o Twitter tornarem mais fácil de manter contato com os parentes mais jovens e fazer amigos.

Além disso, talvez você possa encontrar alguns de seus músicos favoritos no YouTube.

Músicas melhora a postura, a memória e o humor e é usada para tratar pacientes com demência.

4 – Converse sobre envelhecer

Isso deve ajudá-lo a chegar a ter novas ideias e planos.

Poucos de nós discutem o assunto a sério. Caridades dizem que a depressão afeta 22% dos homens e 28% das mulheres com mais de 65 anos e 85% deles não recebem ajuda.

5 – Poupe dinheiro para sua velhice

Enquanto as pessoas idosas de hoje podem esperar uma pensão do Estado, ela não vai fornecer a renda que se está acostumado.

Pensões privados devem ser feitas com antecipação e muitos não se preocuparam em poupar dinheiro.

Os custos aumentam e nos últimos anos muitos aposentados tiveram que economizar na comida, cortando carnes e pulando as refeições.

6 – Pague suas dívidas

Uma em cada cinco pessoas estão no vermelho quando se aposentam, com uma alta dívida média em um mix de cartões de crédito, empréstimos bancários, saques a descoberto e hipotecas.

Ter grandes dívidas reduz o dinheiro que você tem para gastar no que é essencial e aumenta suas chances de depressão e isolamento.

Hipotecas com juros e o boom dos preços da habitação deixaram muitos incapazes de pagar o capital relativo aos empréstimos à habitação.

Não ignore problemas de dinheiro e siga o conselho de especialistas ou de um planejador financeiro.

7 – Fique em forma

Em média, pessoas com 65 anos ou mais passam 10 horas por dia sentadas ou deitadas, tornando-as o grupo etário mais sedentário.

Entretanto, um estudo recente constatou que visitas à academia atingem um pico de 66 anos de idade e pessoas em idade de aposentadoria vão em média 20 vezes mais à academia todos os anos do que os adolescentes.

Fazer exercício – mesmo que seja apenas uma caminhada – pode reduzir o risco de desenvolver a doença de Alzheimer.

8 – Pare de fumar

Nunca é tarde demais para parar. Não importa que idade paramos, parar aumenta nossa expectativa de vida.

É melhor desistir antes de atingir os 40, quando você pode esperar ter as mesmas taxas de mortalidade do que aqueles que nunca fumaram.

É comprovado que fumar tem um efeito nocivo sobre os pulmões, o coração e o sistema vascular, particularmente os vasos sanguíneos dentro do cérebro, o que pode, então, aumentar suas chances de desenvolver demência mais tarde.

O Dr. Tai Hing Lam, da Universidade de Hong Kong, explica: “A maioria dos fumantes subestima seus próprios riscos. Muitos fumantes mais velhos acreditam que estão velhos demais para parar ou para se beneficiar dessa desistência”.

9 – Seja saudável

Um terço dos homens e mulheres mais velhos são classificados como obesos e têm a maior taxa de ingestão regular de bebida (cinco ou mais dias por semana) – que é 24% dos homens mais velhos e 13% das mulheres mais velhas.

No entanto, há fortes evidências de que as pessoas que são mais saudáveis, em geral, têm um menor risco de doença cardíaca, derrame, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, depressão e demência.

As mulheres mais velhas que são mais ativas e comem mais frutas e vegetais têm oito vezes mais chance de sobreviver ao câncer durante cinco anos do que aqueles que se movimentam menos e comem dietas mais pobres.

10 – Adapte sua casa

A casa na qual criamos nossos filhos pode não ser a mais adequada para nós em nossa aposentadoria.

Ao envelhecermos, podemos querer menos degraus, pequenos jardins e ficar mais próximo das lojas ou transportes.

Existem coisas que você pode fazer para tornar a sua casa mais adequada para suas necessidades – adicione uma suíte, faça um jardim mais fácil de manter, substitua janelas e a isole adequadamente.

Pense em se mudar para uma casa menor ou talvez um lar de idosos. Mas seja muito seletivo.

11 – Planeje com antecedência

Poucos de nós se planejam para o futuro.

Poucos de nós esperam sofrer problemas de saúde, luto ou uma perda de emprego. Mas pensar um pouco sobre como responder a esses desafios pode resultar em uma velhice melhor.

Comece a agir agora!

>>VÍDEO

Deixe um Comentário