Candidíase Recorrente (ENTENDA)

Como prevenir candidíase crônica ou recorrente?

Candida albicans é um tipo de fungo que vive em pequenas quantidades no trato gastrointestinal, e às vezes em outros lugares quentes e úmidos do corpo, incluindo a vagina.

Se a população de fungos aumenta em excesso na vagina, uma candidíase – conhecida clinicamente como candidíase vulvovaginal – pode se desenvolver.

Até 75% das mulheres vai ter uma infecção vaginal pelo menos uma vez em suas vidas, e até 50% sofrem mais de uma infecção ao longo dos anos.

Para algumas mulheres, a candidíase vaginal é uma ocorrência comum.

Se você tem candidíase vaginal frequente (quatro ou mais em um único ano), você provavelmente tem uma condição conhecida como candidíase vulvovaginal crônica ou recorrente.

Causas da candidíase vaginal recorrente

Embora não seja totalmente claro o que faz com que algumas mulheres tenham candida recorrente, há uma série de fatores de risco que podem predispor-lhes a ela, de acordo com um artigo de 2006 na revista Clinical Microbiology Newsletter. Eles incluem:

  • Coisas que alteram o equilíbrio hormonal normal, incluindo gravidez, pílulas anticoncepcionais e terapia de estrogênio
  • Uso frequente de antibióticos, que matam as bactérias benéficas que normalmente mantêm a população da Candida sob controle
  • Diabetes mellitus descontrolada, o que pode causar um aumento do açúcar na membrana da vagina (açúcar estimula o crescimento do fungo)
  • Condições que afetam o sistema imunológico, particularmente HIV
  • A obesidade, que fornece mais áreas de umidade e calor (como dobras da pele) em que a Candida pode crescer
  • Roupas apertadas e sintéticas, que mantêm a área vaginal úmida e quente
  • Ter uma curta distância entre a vagina e o ânus, onde os microrganismos vivem frequentemente

Além disso, um relatório de 2009 no European Journal of Obstetrics & Gynecology and Reproductive Biology descobriu que um defeito imunológico localizado na vagina pode estar por trás da candidíase vulvovaginal recorrente de muitas mulheres.

Mini-Curso Grátis:
Fórmula 5 Passos Para Eliminar a Candidíase

Descubra eliminar a candidíase em 5 Passos mesmo que você tenha tentado de tudo...

Em alguns casos, isto pode ser o resultado de uma reação alérgica à Candida após a infecção inicial do fungo.

Candidíase recorrente também pode ser o resultado de um reservatório intestinal ou vaginal de Candida, ou de transmissão de parceiros sexuais.

Os tratamentos para a candidíase recorrente

O tratamento de uma candidíase normal envolve uma classe de medicamentos antifúngicos chamados azóis, sendo os mais populares encontrados como creme ginecológico para fungos.

Estes medicamentos podem ser comprados sem receita ou por prescrição (remédios prescritos têm uma maior concentração de azóis) e vêm em várias formas, incluindo cremes vaginais, óvulos e tampões medicamentosos.

Os medicamentos incluem:

  • Monistat (miconazol)
  • Gyne-Lotrimin (clotrimazol)
  • Vagistat (tioconazole)
  • Gynazole (butoconazole)
  • Terazol (terconazole)

A terapia vaginal dura de um a sete dias, dependendo do produto. Uma dose única de um azol orais denominado Diflucan (fluconazol) também está disponível.

Esses tratamentos são eficazes se a candidíase recorrente é causada pelo C. albicans (as espécies mais comuns por trás das infecções fúngicas).

Porém, algumas infecções são causadas por outras espécies de Candida, como a C. glabrata, necessitando de um tratamento com um creme vaginal ou comprimido de Mycostatin (nistatina), um gel vaginal contendo os antifúngicos anfotericina B e flucitosina, ou outro tratamento.

Prevenção da candidíase recorrente

Um dos motivos pelos quais a candidíase retorna é o amor delas por locais quentes e úmidos, como a vagina.

Isto significa que se você usa:

  • calcinhas sintéticas, mude para algodão
  • pijama, durma nua para melhor circulação de ar na área vaginal
  • jeans apertados ou spandex, troque por materiais mais respiráveis

Para evitar candidíase, lembre-se também de:

  • Limpar da frente para trás após usar o banheiro
  • Tomar antibióticos apenas quando absolutamente necessário e prescrito pelo seu médico
  • Evitar duchas íntimas
  • Se abster de sexo até que a infecção passe

Se você continuar a ter candidíase recorrente depois de fazer essas alterações, consulte o seu médico para descartar quaisquer possíveis causas subjacentes.

Dessa forma, você saberá que está recebendo o tratamento adequado.

>>VÍDEO

==> Clique aqui: Viver Sem Candidíase

2 Comentários

Deixe um Comentário

Mini-Curso GRÁTIS > 5 Passos Para a Eliminar a Candidíase
x