Bico de Papagaio (NA COLUNA)

O que é Osteofitose ou Bico de Papagaio?

Também conhecido como bico de papagaio, a doença é caracterizada pela presença de lesões nas articulações vertebrais. Isso acontece por causa das posturas erradas ao longo da vida. Quando se atinge a idade de velhice, os sintomas tendem a ser mais graves e constantes.

Consequentemente, o paciente pode desenvolver problemas reumáticos, como a osteoartrose lombar, por exemplo.  A doença também é conhecida como bico de papagaio porque se parece com um na imagem que aparece quando o paciente é submetido a uma radiografia.

Ao longo dos anos, manter uma postura ruim passa uma carga de excesso de peso na região da vértebra, deixando o paciente com um aspecto errado na postura e causando dor e desconforto.

Como se adquire

Uma causa frequente desta doença é, sem dúvida, a má postura na vida cotidiana das pessoas. Junto com esta ação principal, menor trauma e estresse repetitivo contribuem para o desenvolvimento da doença.

As pessoas que trabalham com computadores são os principais pacientes deste problema. O longo tempo na mesma posição faz com que a pessoa incline para frente, causando dor nas costas.

É sempre aconselhável que a cadeira esteja em posição adequada para cada tipo de pessoa, ou seja, as costas da pessoa devem encostar na cadeira, proporcionando mais conforto e contribuindo para o bem-estar.

O bico de papagaio pode afetar o pescoço, a coluna, o joelho e as costas.

Quais os Sintomas do Bico de Papagaio 

O principal sintoma da doença é caracterizada por dor que torna-se constante a cada dia.

Se o paciente faz esforço físico, a dor tende a piorar.

Muitas vezes o paciente releva este sintoma e toma remédios que agem para aliviar a dor, mas não é o suficiente. Ele tem de enfrentar o problema de acordo com a necessidade e a gravidade da situação.

Percebendo a dor e considerando a postura errado no dia a dia, é importante procurar um médico ortopedista que pode ajudar com o tratamento para que ela não se complique.

Diagnóstico

Considerando os sintomas relatados pelo paciente, é necessária a realização de um raio-X para mostrar a situação exata da área afetada: a espinha do paciente.

Após a análise dos sintomas, os hábitos da vida cotidiana e também o raio-X, o médico pode diagnosticar o problema do paciente, iniciar a fase de tratamento e dar dicas para um dia a dia sem dor e desconforto.

Como é o tratamento

Para resolver o problema, o médico considera as características de cada paciente e a utilização de medicamentos. O paciente deve submeter-se a exercício regular, o que pode contribuir para estabilizar o problema e remoção da dor.

A primeira tentativa é a de alterar os hábitos da pessoa e tentar corrigir o problema causado por anos de má postura. Por isso, o paciente deve incluir atividade física diariamente, massagem e, no início do tratamento, utilizar medicamentos que trabalham no alívio dos sintomas.

Em outro caso, se o primeiro passo não mostrar resultados positivos, o paciente pode ter de ser submetido a um procedimento cirúrgico. Assim, o tratamento é mais demorado, porque além de a prática usual é necessário a cirurgia e o pós-operatório.

Como prevenir

Além da principal forma de evitar a doença, que é o controle da postura correta, exercício ao longo da vida realizado numa base diária pode contribuir para a prevenção da doença. Entre os principais métodos destacam-se hidroginástica, natação e alongamento, o que deve ser feito diariamente.

Evitar problemas de obesidade, pois o excesso de peso pode sobrecarregar a coluna e desenvolver a doença até mesmo se a pessoa não possui hábitos irregulares.

Para aqueles que já são vítimas da doença, o paciente pode realizar compressas de água quente sobre a área afetada para aliviar os sintomas da dor.

Durante todo o processo de tratamento e também para a prevenção da doença, o paciente precisa mudar o estilo de vida e incluir atividade física na vida cotidiana.

Para aqueles que já fazem exercício físico, é necessário saber se os exercícios são realizados corretamente, porque, às vezes, o paciente realiza atividades de forma irregular e isso também contribui para problemas nas costas ou dor em geral em todo o corpo.

É de salientar que esta doença se desenvolve ao longo dos anos e seu desenvolvimento depende dos hábitos da vida cotidiana. Hábitos saudáveis são sempre executados para assegurar a qualidade de vida do doente, evitando a dor e desconforto na região da coluna vertebral.

>> VIDEO

Deixe um Comentário