A Diabetes (TEM CURA)?

Não há cura para a diabetes. Nem o tipo 1 (em jovens ou que precisa de insulina) nem o tipo 2 (idade adulta).

Na diabetes tipo 1, os pacientes às vezes experimentam o que os médicos chamam de um “período de lua de mel” logo após a doença ser diagnosticada.

Durante este período, pode parecer que a diabetes desapareceu por de alguns meses a um ano. A necessidade de insulina do doente é mínima e alguns pacientes podem manter uma taxa de glicose no sangue normal ou quase normal, precisando de pouca ou nenhuma insulina.

Entretanto, seria um erro supor que a diabetes foi embora. Basicamente, a diabetes tipo 1 ocorre quando cerca de 90% das células produtoras de insulina do corpo foram destruídas.

Momento do Diagnóstico

Como descobrir se tenho diabetes

No momento em que a diabetes tipo 1 é diagnosticada, a maioria dos pacientes ainda está produzindo alguma insulina. Se os sintomas evidentes de diabetes do tipo 1 surgem apenas quando o paciente tem uma doença, vírus ou gripe, por exemplo, as necessidades de insulina do corpo podem diminuir com a doença.

Neste ponto, o número restante de células produtoras de insulina pode ser suficiente – no momento – para produzir a insulina que a pessoa precisa.

No entanto, o processo que destruiu 90% das células produtoras de insulina, em última instância, irá destruir as células restantes. E, como a destruição continua, a quantidade de insulina injetada que o paciente necessita vai aumentar – e, finalmente, o paciente ficará totalmente dependente de injeções de insulina.

Evidências Científicas

Os cientistas consideram importante que pessoas recentemente diagnosticadas com diabetes continuem a tomar um pouco de insulina por injeção, mesmo durante o período de lua de mel.

Por quê? Porque existem evidências científicas que sugerem que isso irá ajudar a preservar as poucas células produtoras de insulina restantes por um tempo mais longo.

Os pacientes diagnosticados com diabetes tipo 2 podem descobrir que, se estão acima do peso no momento do diagnóstico e, em seguida, perdem peso e começam a fazer atividade física regular, seu nível de glicose no sangue volta ao normal. Será que isso significa diabetes desapareceu? Não.

O desenvolvimento da diabetes tipo 2 também é um processo gradual em que o corpo torna-se incapaz de produzir insulina suficiente para as suas necessidades e / ou as células do corpo tornam-se resistentes aos efeitos da insulina.

Aos poucos, o paciente vai de ter “tolerância à glicose diminuída” – uma diminuição da capacidade, mas ainda adequada para converter alimentos em energia – para “diabético”.

Se o paciente vier a ganhar peso ou diminuir seu programa de atividade física, a taxa alta de glicose no sangue voltaria. Se ele comesse demais em uma refeição, a sua glicose no sangue provavelmente continuaria a subir e ficaria mais alta do que alguém sem diabetes.

Além disso, a produção de insulina diminuída e / ou aumento da resistência à insulina que levou ao diagnóstico inicial de diabetes irá intensificar gradualmente ao longo dos anos e durante períodos de stress.

Com o tempo, o paciente que poderia manter a glicemia normal com uma dieta e exercício pode descobrir que necessita de medicamentos orais para diabetes – ou talvez até mesmo injeções de insulina – para manter a glicose no sangue em uma escala saudável.

A boa notícia para um paciente tipo 1 e tipo 2 é que, se a insulina, medicamentos, perda de peso, atividade física e alterações na dietam resultarem em uma glicose normal no sangue, isso significa que a diabetes está bem controlada e seu risco de desenvolver complicações é muito mais baixa.

Porém, isso não significa que a sua diabetes desapareceu.

Fonte: http://www.joslin.org/index.html

>> VIDEO

Deixe um Comentário