Candidíase (PENIANA)

O que é a candidíase peniana

A candidíase é uma infecção fúngica que pode afetar os órgãos genitais. A infecção genital da candidíase é muito mais comum em mulheres do que homens, mas quando ocorre nos homens afeta a cabeça do pênis (a glande) e o prepúcio (se presente).

A doença também é conhecida como infecção por fungos, “sapinho”, Candida, candidíase e monilíase.

A candidíase masculina não é a mesma coisa que coceira na virilha (micose), que é um outro tipo de infecção fúngica chamada de tinea cruris e causada por diferentes fungos.

Fatos rápidos sobre candidíase

Aqui estão alguns pontos-chave sobre a candidíase masculina:

  • A candidíase afeta os órgãos genitais e é classificada como uma infecção fúngica.
  • Este tipo de infecção é mais comum em mulheres. Quando ela ocorre em homens, pode afetar a cabeça do pênis e o prepúcio (se presente).
  • A doença também é conhecida como infecção por fungos, “sapinho”, Candida, candidíase e monilíase.
  • A candidíase é causada por um fungo de levedura denominado Candida albicans.
  • Os fatores de risco que tornam mais provável a candidíase incluem a utilização de antibióticos, corticosteroides, imunossupressores, ter diabetes, falta de higiene ou o uso de muitos produtos de limpeza.
  • Sexo com um parceiro infetado deve ser evitado até que a infecção seja curada.
  • A Candidíase genital em homens pode se apresentar como uma erupção cutânea no pênis.
  • Outros sintomas podem incluir vermelhidão na pele, inchaço, irritação e coceira ao redor da cabeça do pênis, descarga irregular sob o prepúcio ou dor ao urinar e durante o sexo.
  • Tratamentos antifúngicos orais ou locais podem ser utilizado para tratar a candidíase.
  • A candidíase pode ser prevenida e controlada com uma boa higiene, pois infecções fúngicas prosperam em locais quentes e úmidos.

O que causa a candidíase masculina?

A candidíase é causada por um fungo de levedura chamado Candida albicans. A primeira descrição do micro-organismo por trás da infecção foi feita há mais de 170 anos atrás, em 1839, por um professor universitário de 29 anos de idade chamado Bernhard von Langenbeck. Ele passou a se tornar um dos cirurgiões mais importantes do século XIX.

O Dr. von Langenbeck descreveu as espécies de fungo Candida albicans, que é mais frequentemente encontrado na candidíase, embora outras espécies também possam estar envolvidas na infecção por fungos (Candida glabrata, por exemplo) .

Fungos da Candida são encontrados naturalmente no interior do corpo e na pele, pois todo ser humano é colonizado pelo fungo – mas em níveis que não costumam causar problemas. Há evidências de levedura no pênis em até um quinto dos homens que não têm quaisquer sinais ou sintomas de candidíase.

A Candida albicans causa problemas apenas sob certas condições, que permitem que ela se desenvolva e cresça para números que resultam em candidíase (quando s células fúngicas produzem hifas, estruturas que penetram na pele).

Nosso sistema imunológico e natural de bactérias normalmente mantém a população fúngica em equilíbro, mas se esse equilíbrio é perturbado, o fungo pode prosperar. Um exemplo disso é comumente visto com bebês recém-nascidos que podem ser afetadas por aftas enquanto desenvolvem uma flora microbiana equilibrada.

Os seguintes fatores de risco ajudam na aparição da candidíase:

  • Antibióticos – o tratamento de uma infecção bacteriana com antibióticos de largo espectro pode causar a prosperação de a fungos porque as bactérias “boas” e “saudáveis” que normalmente mantêm a cândida sob controle também são destruídos junto com a infecção bacteriana nociva (as bactérias “ruins”).
  • Corticosteroides – esses fármacos estão associados com um maior risco de candidíase.
  • Imunossupressores – a imunidade enfraquecida reduz a defesa do organismo contra a cândida e, assim, permite sua proliferação. A infecção pelo HIV é um exemplo de algo que enfraquece a imunidade.
  • Diabetes – esse é um fator de risco porque os níveis de glicose no sangue promovem a fermentação do fundo e afetam as defesas imunológicas.
  • Os homens não circuncidados com falta de higiene – homens que não foram circuncidados têm um espaço escuro, quente e úmido embaixo do prepúcio que é favorável para o crescimento do fundo.
  • A higiene pessoal. Lavar muito o pênis com sabonetes, gel de banho e semelhantes pode irritar o órgão e causa a infecção fúngica, que é mais provável sobre a pele danificada. Não secar cuidadosamente o pênis após a lavagem também é um fator de risco, pois o fungo pode crescer no pênis em ambientes quentes e úmidos.

Os homens podem pegar candidíase de uma parceira do sexo feminino?

Enquanto candidíase genital em homens é geralmente adquirida sexualmente, ela não é classificada como uma infecção sexualmente transmissível (DST ou STD) porque pode estar presente em homens que não estão em um relação sexual.

Homens que têm uma parceira com um infecção genital (denominada candidíase vulvovaginal em mulheres) não precisam procurar tratamento a menos que também tenham sintomas, uma vez que o sexo não implica, necessariamente, na transmissão da infecção fúngica para homens.

É recomendado evitar o sexo desprotegido com um parceiro do sexo feminino até que a infecção da mulher tenha desaparecido após tratamento.

Sinais e sintomas

Homens com candidíase genital podem experimentar uma erupção cutânea no pênis. O

Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra lista as seguintes descrições específicas dos sintomas prováveis da candidíase masculina:

Em torno da cabeça do pênis

  • Pele vermelha;
  • Inchaço;
  • Irritação e dor;
  • Coceira.

No prepúcio

  • Secreção grossa e irregular sobre o prepúcio, produzindo um odor desagradável;
  • Dificuldade para puxar o prepúcio (fimose).

Dores

  • Ao urinar;
  • Durante o sexo.

Testes e diagnóstico

Homens que foram diagnosticados e tratados para candidíase masculina anteriormente podem tentar se auto-tratarem caso tenham os mesmos sintomas novamente. No entanto, se os sintomas piorarem, será necessário consultar um médico.

Se esta é a primeira vez que um homem tem tais sintomas ou não há resposta ao tratamento habitual, é importante consultar um médico pois o diagnóstico profissional poderá descartar problemas alternativos (diagnóstico diferencial) ou subjacentes, tais como diabetes, que predispõem homens para o infecção.

Normalmente, é suficiente para um médico fazer perguntas sobre o problema e examinar o pênis para confirmar um diagnóstico de candidíase. Se o médico não tem certeza do diagnóstico e suspeita que pode haver outra causa para a erupção, ou ainda considera que é um caso grave, ele poderá coletar fluidos ao redor da glande do pênis e sob o prepúcio e enviar essa amostra para um laboratório.

Outro método envolve pressionar uma lâmina contra a área afetada e enviar a pele coleta para avaliação com um microscópio.

É necessário lembrar que há evidências da Candida albicans em até um quinto dos homens que não têm quaisquer sinais ou sintomas de candidíase.

Tratamento e prevenção

O tratamento da candidíase no homem ocorre da mesma forma como é em mulheres (candidíase vulvovaginal), embora os medicamentos para as mulheres estejam disponíveis em diferentes formas, incluindo um creme ou óvulo vaginal. O tratamento é eficaz de 80% a 90 % de cases.

Por isso os homens sempre pergutam: como curar a candidiase masculina?

Para os homens, tratamentos orais ou locais podem ser utilizados. Um exemplo é o medicamento antifúngico fluconazol, que está disponível em farmácias sem a necessidade de receita médica. No caso, um único comprimido de 150 mg é o suficiente.

Outra linha de tratamento disponíveis para os homens é uma classe de antifúngico conhecido como imidazol. Drogas individuais na classe incluem:

  • Clotrimazol (várias marcas disponíveis);
  • Econazole;
  • Cetoconazol (várias marcas);
  • Miconazol (várias marcas).

Os cremes são aplicados topicamente (diretamente sobre a área afetada), normalmente uma vez por dia durante três a sete dias. Se aplicado localmente ou tomado por via oral, ambas as vias de tratamento da toxicodependência são igualmente efetivas.

Um creme conhecido como nistatina, a partir de uma classe diferente de antifúngicos e vendido sob várias marcas, também está disponível para o tratamento tópico, mas é menos eficaz do que o imidazol.

Se você nunca tiver tido sintomas de candidíase antes, é recomendado que você consulte seu médico antes de tratar-se. Homens previamente diagnosticados que tiverem os mesmos sintomas novamente podem tentar tratar o problema antes de ir ao médico (se os sintomas piorarem).

Uma boa higiene

Uma boa higiene impede e ajuda no tratamento da candidíase, já que infecções fúngicas prosperam em locais quentes e úmidos. Em homens com um prepúcio, a falta de higiene debaixo dele pode levar ao acúmulo de uma substância de aparência estranha chamada esmegma, que pode causar irritação.

Siga as seguintes dicas práticas:

  • Ajudar a evitar uma infecção lavando o pênis cuidadosamente com água quente – chuveiro é melhor do que banheira;
  • Evite o uso de géis de banho perfumados ou sabonetes nos órgãos genitais, porque eles podem causar irritação;
  • Depois de lavar, seque o pênis cuidadosamente para privar o fungo das condições de umidade que o ajudam a prosperar;
  • Usar cuecas de algodão largas para ajudar a manter a pele e o pênis seco e fresco

Leia Também:

>> VIDEO

4 Comentários

Deixe um Comentário